domingo, 22 de janeiro de 2017

Uma batalha que travei contra mim mesma.

Gostar de nós mesmos é um processo complicado, um processo demoroso e que trás consigo alguns pontos mal assentes. Olhar para o espelho e gostar do que vemos, para algumas pessoas, nunca foi sinónimo de realidade. Era sinónimo, sim, de desespero, de mentira, de tormento. Eram mentiras atrás de mentiras, sorrisos que escondiam dor e um silêncio que transmitia solidão e desconforto. E era assim que eu me sentia - desconfortável. Desconfortável em mim, na minha pele, na minha roupa e no meu pequeno mundo.
Mas, apesar de tudo, e do tempo que estas coisas levam, hoje sou capaz de dizer que esta é uma batalha que estou a aprender a vencer - a de gostar de mim. Passei, com tempo, a valorizar o meu sorriso. Ensinaram-me que, para amar os outros, preciso de saber amar a minha pessoa primeiro. E mostraram-me que eu tenho tanto para se amar... vivi, durante um longo período de tempo, apagada por aquilo que sentia ser mentira.
No entanto, hoje, com o apoio certo, fui capaz de crescer. E cresci muito. Mudei muito também. Deixei de ser a menina do canto, a menina tímida que era. Continuo a preferir o meu espaço, as minhas coisas e os meus pensamentos, é certo, mas isso é porque, por vezes, o mundo lá fora consegue ser tão louco, que tu preferes não falar ou contra-argumentar. E não porque consideras que estás errada, mas sim porque sabes que estás certa e isso não vai mudar a opinião dos outros. Aprendi que não se mudam mentalidades. Ou nós mudamos por nós mesmos, ou simplesmente permanecemos na mesma estaca.

2 comentários:

  1. Gostas de nós e pensar em nós não é egoísmo, é amor próprio e quando o encontramos conseguimos ser tão mais felizes!

    ResponderEliminar

Um dia que acordou cinzento.

O dia nasceu cinzento, o sol não marca a sua presença e tudo o que se sente é o fumo que ficou de uma das piores noites de sempre. Foi assu...